Tendências do mercado de alimentos

0
512

Acredita-se que até 2030 a população mundial terá atingido cerca 8,3 bilhões de pessoas, você consegue imaginar isso? Essa projeção ocorre em um cenário de mudanças climáticas e demográficas, fatores sociais e culturais, que reflete uma alteração no panorama do consumidor, que cada vez mais “empoderado”, exige atenção a várias questões nutricionais e de sustentabilidade resultando em novas tendências de mercado.

No contexto das mudanças, assiste-se à transição de uma população jovem para uma população mais longeva, impactando diretamente a economia.

Paralelamente, o crescimento e a expansão da classe média e o contínuo aumento da população nas áreas urbanas, geram uma demanda crescente por recursos como alimento e água. Segundo um estudo da Intelligence Council, a demanda por alimento crescerá em 35% até 2030.

Estes dados, quando comparados à produção global de grãos entre 1970 e 2000, mostram-se inversamente proporcionais, com a redução de 2% na produção, que continua em queda, chegando a um número de 1,1% menos, nos dias atuais.

Em 2018 a Mordor Intelligence apresentou um estudo internacional onde mostra que o requerimento de água em 2023 chegará a 6,900 bilhões de metros cúbicos ou seja 40% acima do fornecimento visto atualmente como sustentável.

Estes dados convergem diretamente para um impacto significativo na produção de alimento, podendo gerar um aumento no custo da alimentação. O que impactaria principalmente a população que dispõem de menos recursos, embora o estudo aponte que este aumento nos custos do alimento não seria necessariamente um fator preponderante para o aumento da desnutrição.

Entretanto, temos em nosso favor os avanços tecnológicos: a automatização, o armazenamento, o processamento de dados, os biocombustíveis, a energia solar, associadas às iniciativas que envolvem instituições e pesquisadores em todo o mundo.

O mapeamento das possíveis opções de culturas ainda inexploradas tendo como base o clima atual e os recursos do solo e água, podem fortalecer, intensificar e favorecer uma cadeia de produção mais sustentável.

Em contrapartida, o consumidor busca por uma vida saudável e uma dieta personalizada, que promova autonomia e melhores escolhas alimentares, o que leva as pessoas a buscarem cada vez mais informações e a seguirem as tendências do mercado alimentício.

Nesta lacuna, cada vez mais a nutrição se apresenta como uma ferramenta necessária para o alcance não somente das metas pessoais de cada consumidor, como também, das questões ligadas a produção e ao meio ambiente.

A tendência da saudabilidade, a naturalidade, a ingestão positiva de nutrientes e a maior proximidade com a natureza, são entendidas como uma maneira de proporcionar um maior benefício a saúde e maior desenvolvimento ao indivíduo.

O crescimento da adesão ao vegetarianismo e veganismo, a busca por dietas mais sustentáveis, como a Plant Based Diet, propõe como base alimentar as leguminosas, frutas, vegetais, grãos e outros “superalimentos”, chamados assim por serem ricos em compostos bioativos e terem a sua funcionalidade evidenciada.

Cabe destacar o papel da proteína, que deixou de ser apenas um simples nutriente e passou a ser um diferencial, sendo adicionada a novos produtos devido a seus benefícios funcionais, com objetivo de enriquecer produtos, tornando-os mais interessantes ao consumidor.

Aliás, umas das tendências mais fortes da atualidade está em consumir alimentos fortificados. Foi isso o que mostrou a Mintel em 2018 em uma pesquisa no Brasil, onde 77% dos consumidores afirmam que: consumir alimentos e bebidas com benefícios adicionais é uma boa maneira de garantir o consumo dos nutrientes necessários (fibras, proteínas, vitaminas).

Cerca de 659 novos produtos fortificados foram lançados em 2017 na América Latina. Países como México, Brasil e Colômbia representam 75% destes lançamentos.

A nutrição neste contexto, deve cumprir o seu papel, educando e informando o consumidor e assim promover escolhas mais conscientes, saudáveis e mais sustentáveis.

O nosso Mundo Agradece!

 

 

Referências bibliográficas:

Elias, M.F.; Castro, A.C; Vanetti, C.  Mercado: Tendências no Brasil e no Mundo In: Pimentel, C. V. de M. B.; Elias, M. F.; Philippi, S. T. Alimentos funcionais e compostos bioativos.1ª. ed. Barueri (SP): Manole, 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome