sustentabilidade e padrões alimentares

0
105

Vivendo em plena pandemia do Covid-19, um tema que tem recebido menos destaque (mas não menos importante), é sobre uma nova forma de viver: em confinamento, consumimos menos, gastamos menos recursos para transporte e com isso, temos um reflexo indireto: menos matéria-prima para produção de bens de consumo não essenciais e redução da poluição atmosférica. Logo, a natureza agradece!

E como nessa semana comemoramos o Dia Nacional da Educação Ambiental, o Dia Mundial do Meio Ambiente, o Dia Nacional da Reciclagem e Dia da Ecologia, nada mais importante do que falar sobre esse tema.

E como será que fica nossos padrões alimentares em meio a esse tema?

Bom, então vamos discutir no nosso papo de nerd hoje, um artigo publicado na revista Advances in Nutrition em março desse ano. Trata-se de uma revisão sistemática, que revisou as evidências sobre os padrões alimentares dos EUA e os resultados de trabalhos acerca do tema sustentabilidade publicados de 2015 a 2019.

Após uma extensa análise, os autores identificam que os resultados do estudo colocam em cheque as descobertas anteriores de que dietas aderentes às diretrizes alimentares nacionais são mais sustentáveis ​​do que as dietas atuais.

Mas porquê? Segundo os pesquisadores, os resultados indicaram que o padrão alimentar saudável referente ao estilo dos EUA recomendado pela Diretrizes alimentares para americanos pode levar a emissões de gases que causam efeito estufa, uso de energia e uso de água semelhantes ou aumentados com a atual dieta americana.

E isso é ainda reforçado com resultados de estudos prévios que sustentam a conclusão de que, entre os padrões alimentares saudáveis, aqueles que contem mais alimentos à base de plantas e que contem menores quantidades de alimentos à base de animais seriam benéficos para a sustentabilidade ambiental (o que já discutimos por aqui muitas outras vezes).

Nesse sentido, este é mais um estudo que adiciona um crescente corpo de evidências de que a orientação alimentar pode ser aproveitada para proporcionar uma melhor qualidade de vida e saúde através da nutrição, bem como através da preservação e regeneração a longo prazo dos recursos naturais e adaptação climática.

Por isso mesmo, mudanças na dieta implementadas ao lado de transições baseadas em evidências para práticas agrícolas mais sustentáveis ​​e ecologicamente informadas, reduções de desperdício em toda a cadeia de suprimentos e redistribuição equitativa de energia e recursos também serão fundamentais para o cumprimento da sustentabilidade.

Mas, enquanto aguardamos posicionamentos e orientações no âmbito da saúde pública, cabe a cada um de nós repensarmos nossas práticas alimentares e de consumo, não é mesmo?!

 

 

Referências bibliográficas:

 

Reinhardt, S. L., Boehm, R., Blackstone, N. T., El-Abbadi, N. H., McNally Brandow, J. S., Taylor, S. F., & DeLonge, M. S. (2020). Systematic Review of Dietary Patterns and Sustainability in the United States. Advances in Nutrition. doi:10.1093/advances/nmaa026

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome