Quarentena e nutrição: quando as evidências apontam um caminho

0
309

Em tempos de quarentena, em que todas nossas atividades estão sendo adaptadas, nossos hábitos alimentares também estão mudando. E é exatamente sobre esse tema que um artigo publicado pelo European Journal of Clinical Nutrition traz importantes reflexões que iremos abordar aqui.

Segundo os autores, além de toda alteração de rotina de trabalho (fora e dentro de casa), a quarentena pode resultar em tédio e este, tem sido associado a uma maior ingestão de energia, bem como o consumo de maiores quantidades de gorduras, carboidratos e proteínas. Além disso, o fato de ouvir e ler constantemente sobre o tema, pode desencadear uma situação de estresse, que leva as pessoas a comerem demais, principalmente procurando “alimentos de conforto” açucarados.

O desejo por carboidratos estimula a produção de serotonina que por sua vez, tem um efeito positivo no humor, atuando portanto, como medida de controle ao estresse.

O estresse relacionado à quarentena também resulta em distúrbios do sono que, por sua vez, piora ainda mais o estresse e aumenta a ingestão de alimentos, dando origem a um ciclo vicioso e perigoso. Portanto, é importante consumir alimentos que contenham ou promovam a síntese de serotonina e melatonina no jantar.

Uma variedade considerável de espécies vegetais, incluindo raízes, folhas, frutas e sementes como amêndoas, bananas, cerejas e aveia contém melatonina e / ou serotonina. Esses alimentos podem também conter triptofano, que é um precursor da serotonina e melatonina. Alimentos proteicos, como leite e derivados, são as principais fontes do aminoácido indutor do sono triptofano. Além disso, o triptofano está envolvido na regulação da saciedade e ingestão calórica via serotonina que reduz principalmente a ingestão de carboidratos e gorduras e inibe neuropeptídeo Y.

Nesse sentido, em períodos de estresse como este que estamos vivendo, é importante cuidar dos hábitos nutricionais, seguindo uma dieta saudável e padrão nutricional equilibrado, contendo grande quantidade de minerais, antioxidantes e vitaminas. Além disso, manter horários de planejamento para realizar as refeições e ter em mente atitudes positivas podem ser úteis para combater os efeitos negativos da quarentena na saúde.

 

 

Referências bibliográficas

Muscogiuri, G., Barrea, L., Savastano, S. et al. Nutritional recommendations for CoVID-19 quarantine. Eur J Clin Nutr (2020). https://doi.org/10.1038/s41430-020-0635-2.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome