O poder das conexões sociais para fortalecer a saúde e o bem-estar

0
194
poder das conexões

Em tempos de isolamento social, nunca sentimos e valorizamos tanto as conexões sociais e o seu papel em nossa saúde mental, não é mesmo? Mas os benefícios dos relacionamentos vão além do bem-estar psicológico, podendo afetar a nossa saúde como um todo.

Isso é o que concluiu um estudo americano publicado pelo American Journal of Lifestyle Medicine. Na meta-análise, discutiu-se como o apoio social e o sentimento de conexão podem ajudar as pessoas em vários indicadores fundamentais:

  • Manter um Índice de Massa Corporal (IMC) saudável;
  • Controlar o açúcar no sangue;
  • Melhorar a sobrevivência ao câncer;
  • Diminuir a mortalidade cardiovascular;
  • Diminuir os sintomas depressivos;
  • Melhorar e/ou diminuir os sintomas de transtorno de estresse pós-traumático
  •  Melhorar a saúde mental geral.

Já o oposto da conexão, o isolamento social, tem um efeito negativo na saúde e pode aumentar os sintomas depressivos, bem como a mortalidade.

E esses indícios não são recentes. Ainda no final da década de 1970, estudos já mostravam que pessoas com laços sociais fortes tinham 3 vezes menos probabilidade de morrer do que aqueles que estavam menos ligados a outros. Nas pesquisas, indivíduos que tinham fatores prejudiciais à saúde, como tabagismo, obesidade e inatividade física, mas mantinham relacionamentos íntimos, viveram mais do que aqueles que tinham mais hábitos de promoção da saúde, mas não tinham essas conexões sociais importantes.

Nesse contexto, a conexão social provavelmente será um elemento básico do tratamento da obesidade no futuro ao lado de aconselhamento nutricional e plano de exercícios. Isso porque evidências recentes mostram que quem tem mais suporte social, costuma ter o IMC mais baixo.

Na mesma linha, pesquisas que se dedicam a avaliar como as pessoas com diabetes vivem, têm demonstrado que a conexão social atua como uma influência positiva nos comportamentos de saúde, bem como nos níveis de hemoglobina glicada em indivíduos com diabetes tipo 2.

Em um deles, pessoas com glicemia alterada receberam instruções sobre diabetes e foram divididas em dois times: enquanto o grupo controle se concentrou exclusivamente em palestras, o grupo de intervenção se concentrou em exercícios de construção de equipes, bem como no compartilhamento de informações sobre diabetes entre os participantes de seu agrupamento. Após 6 meses, os indivíduos randomizados para o grupo envolvendo conexões tiveram uma diminuição significativamente maior nos níveis de glicose no sangue do que os indivíduos em um grupo de controle.

Portanto, incorporar suporte social é fundamental para saúde e para que hábitos saudáveis sejam sustentáveis. Dessa forma, aconselhar os pacientes sobre o aumento dos relacionamentos e indagar sobre a quantidade e a qualidade das interações sociais são maneiras que os especialistas em medicina do estilo de vida podem usar para adicionar não apenas anos à vida dos pacientes, mas também mais saúde e bem-estar como um todo! Ou seja, não se trata de viver mais, mas sim, viver melhor!

Aproveite para ver aqui como as conexões sociais afetam a saúde mental dos idosos. Já no próximo artigo, falaremos especificamente sobre os benefícios das conexões sociais na saúde cardiovascular e no câncer, não perca!

Referência bibliográfica: MARTINO, J.; PEGG, J.; FRATES, E. P. The Connection Prescription: Using the Power of Social Interactions and the Deep Desire for Connectedness to Empower Health and Wellness. American Journal of Lifestyle Medicine, 2015.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome