Linhaça: compostos bioativos e doenças cardiovasculares

0
144

O ácido alfa-linolênico (ALA) é considerado o composto bioativo mais importante presente na linhaça com ação benéfica sobre as doenças cardiovasculares.

As doenças cardiovasculares são a principal causa de mortalidade e morbidade em todo o mundo e um dos fatores de risco modificáveis mais importantes é a alimentação. Por isso, diferentes diretrizes internacionais e brasileiras argumentam a importância de uma alimentação equilibrada e saudável como medida de prevenção e controle das doenças cardiovasculares.

Mas além disso, é importante discutir nesse contexto, os alimentos funcionais e os compostos bioativos que apresentam uma ação benéfica para estas doenças. Entre os principais compostos bioativos com ação cardiovascular estão os polifenóis, os fitosteróis, as catequinas, os estilbenos, as b- Glucanas, as flavanonas, as antocianinas, os compostos organossulfurados, o ômega 3 e as lignanas. E é sobre este composto bioativo e sua principal fonte, a linhaça, que falaremos hoje.

Em uma recente revisão publicada pelo American Journal of Physiology, os autores discutem a importância da linhaça como um alimento funcional e dos seus compostos bioativos em relação aos benefícios cardiovasculares.

Segundo esta publicação, os efeitos benéficos da linhaça em relação as doenças cardiovasculares incluem ação anti-hipertensiva, efeitos antiaterogênicos, diminuição do colesterol, ação antiinflamatória e inibição de arritmias.

E uma das principais alegações benéficas da linhaça se deve ao seu enriquecimento com ácido α-linolênico (ômega-3) e as fibras chamadas lignanas ou SDG (Secoisolariciresinol Diglucosideo).

Mas, os efeitos benéficos podem ser explicados por compostos bioativos específicos, mais recentemente explorados pela ciência, conforme mostram os pesquisadores. Os ciclolinopeptídeos têm um efeito imunossupressor, enquanto os glicosídeos cianogênicos melhoram a homeostase da glicose e, assim, podem afetar indiretamente o sistema cardiovascular.

As fibras podem produzir uma atividade antiaterogênica, reduzindo a ingestão calórica. As lignanas ou SDG restauram a função vascular, aumentando a neovascularização e, assim, melhorando a função cardíaca. O ácido alfalinolênico (ALA) apresenta uma atividade anti-hipertensiva, atividade antiaterogênica, reduzindo assim a produção de citocinas inflamatórias, ação antiplaquetária e efeitos antiarrítmicos pela diminuição da fibrilação ventricular e uma melhoria na sobrevivência das células cardíacas.

Mas, segundo os autores, o ácido alfalinolênico (ALA) pode ser o bioativo mais benéfico da linhaça em relação aos efeitos cardiovasculares. No entanto, alguns bioativos citados são ainda pouco estudados, necessitando assim, de mais estudos pré-clínicos, bem como ensaios maiores e ensaios clínicos de maior duração, para identificar uma lista mais abrangente de bioativos da linhaça.

Mas ainda existem outros diversos compostos bioativos com ação cardiovascular importante, como dissemos no início do texto. Se você quiser saber mais, acompanha a gente aqui no portal e confere nosso livro recém lançado! Tem um capítulo só sobre esse tema!

 

 

Referências bibliográficas:

Parikh, M., Netticadan, T., & Pierce, G. N. (2018). Flaxseed: its bioactive components and their cardiovascular benefits. American Journal of Physiology-Heart and Circulatory Physiology, 314(2), H146–H159. doi:10.1152/ajpheart.00400.2017

Magnoni, D.; Pimentel, I.; Kovacs, C.; Alves, R.; Gama, K. Saúde cardiovascular. In: Pimentel, C. V. de M. B.; Elias, M. F.; Philippi, S. T. Alimentos funcionais e compostos bioativos. São Paulo: Barueri: Manole, 2019.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome