Gestação e consumo de micronutrientes

As principais consequências decorrentes da deficiência de micronutrientes nas gestantes, inclui o aumento do risco de complicações no parto e de bebês prematuros, com baixo peso ao nascer ou pequenos para a idade gestacional.

0
64

Para continuar esse mês de comemorações, depois do lançamento do nosso livro “Alimentos Funcionais e Compostos Bioativos”, nosso portal de conteúdos está completando um ano! Por isso, vamos falar sobre os temas que vocês pediram ao longo desses dias e um dos mais pedidos foi gestação.

Nós já falamos recentemente sobre a importância dos mil dias para a vida do bebê e vimos que uma boa nutrição é essencial para garantir o desenvolvimento do bebê e favorecer um bom prognóstico de saúde ao longo da vida.

Mas afinal, o que é uma boa nutrição?

Uma boa nutrição é definida como uma dieta balanceada que fornece todos os nutrientes essenciais em quantidades e proporções ideais. Já a má nutrição pode ser entendida como uma dieta que não possui as quantidades adequadas de nutrientes, seja por desequilíbrio ou ingestão insuficiente, ou em que alguns componentes estão presentes em excesso.

Por isso, a preocupação com a ingestão adequada de micronutrientes durante a gestação é fundamental. As principais consequências decorrentes da deficiência de micronutrientes nas gestantes, inclui o aumento do risco de complicações no parto e de bebês prematuros, com baixo peso ao nascer ou pequenos para a idade gestacional.

Além disso, o consumo inadequado de nutrientes na gestação, reflete em um estado nutricional abaixo do ideal, incluindo desenvolvimento físico e mental comprometidos, colocando a criança em um curso prejudicial de baixa estatura, com maior probabilidade de infecção e atraso no desenvolvimento.

Em áreas onde a deficiência de micronutrientes é prevalente, a composição do leite materno pode ser afetada por deficiências maternas marginais em ácidos graxos, iodo e na maioria das vitaminas.

Uma das principais dificuldades a ser considerada no tratamento das deficiências de micronutrientes é o diagnóstico, que acontece muitas vezes, tardiamente. Isso decorre em virtude dos sinais clínicos das deficiências de micronutrientes serem frequentemente inespecíficos e só aparecerem quando as reservas já estão depletadas, característica bastante comum da fome oculta.

Sendo assim, intervenções para o controle de deficiências de micronutrientes em meninas adolescentes e mulheres em idade reprodutiva, inclusive durante a gravidez, incluem: modificação dietética, suplementação e fortificação de alimentos básicos.

E cabe sempre lembrar que em virtude das consequências das deficiências de micronutrientes, o tratamento deve ser sempre avaliado e orientado por profissionais.

 

Referências bibliográficas:

 

Bailey, R. L.; West Jr.; K. P.; Black, R. E. The Epidemiology of Global Micronutrient Deficiencies. Ann Nutr Metab 2015;66(suppl 2):22–33.

Rahman, M. Micronutrient profile of children and women in rural Bangladesh: study on available data for iron and vitamin A supplementation. East Afr J Public Health, v. 6, n. 1, p. 102-7, 2009.

Hanson, M. A.; Bardsley, A.; De-Regil, L. M.; Moore, S. E.; Oken, E.; Poston, L.;  Ma, R. C.;   McAuliffe, F. M.; Maleta, K.;  Purandare, C. N.;  Yajnik, C. S.;  k, Rushwan, H.;  Morris, J. L. The International Federation of Gynecology and Obstetrics (FIGO) recommendations on adolescent, preconception, and maternal nutrition: “Think Nutrition First”. International Journal of Gynecology and Obstetrics 131 S4 (2015) S213–S253.

Pimentel, C. A nutrição ideal: da pré concepção à amamentação. In: Nogueira-de-Almeida, C. A.; Pimentel, C.; da Fonseca, E. B. Além da nutrição: o impacto da nutrição materna na saúde das futuras gerações. Luiz Martins Editorial Ltda.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome