COVID-19: como a medicina do estilo de vida pode ajudar?

0
220

Estamos praticamente completando seis meses de uma mudança inesperada nos hábitos de vida: reclusão, home-office (para quem é possível), distanciamento social, entre tantas outras medidas que se tornaram necessárias na nossa rotina.

Com isso, manter um estilo de vida saudável, qualidade de vida e bem-estar se tornou desafio diário.

E foi pensando nisso, que um grupo de pesquisadores e profissionais se dedicaram em reunir informações sólidas, recomendações, recursos e sugestões relacionadas aos principais pilares da medicina do estilo de vida para ajudar a manter um estilo de vida saudável durante (e após) a crise COVID-19.

O artigo publicado na American Journal of Lifestyle Medicine traz pontos importantes, das quais, iremos destacar alguns aspectos nesse artigo.

Além de todos os benefícios que medicina do estilo de vida já enfatiza e que você pode conferir aqui no nosso portal, as evidências iniciais apoiam que os comportamentos não saudáveis, em conjunto, representaram até 51% dos casos de internações por COVID-19. Portanto, um desafio importante durante (e depois) da pandemia COVID-19 é a gestão de fatores de risco para a saúde, tais como alimentação saudável.

Enquanto a prevalência de dietas não saudáveis entre a população já é alta, a rotina adotada durante a pandemia causada pelo COVID-19 pode agravar ainda mais.

E isso se mostra até mesmo como um paradoxo: embora as famílias possam ter a oportunidade de cozinhar em casa com mais frequência, a falta de conhecimento sobre o que se constitui um padrão de alimentação saudável e a falta de habilidades culinárias pode levar a indivíduos e famílias aderirem a opções de entrega de fast food e assim, mais suscetíveis a fazerem escolhas menos saudáveis.

E esse comportamento pode resultar em consequências que estão relacionadas a ao aumento da inatividade física, tempo sedentário e maior tempo de tela (TV, computador e celular), podendo contribuir para o aumento da obesidade.

Por isso, no que diz respeito a alimentação, os autores pontuam que a adoção de uma dieta a base de grãos integrais e vegetais é uma boa opção, podendo ser saborosa, além de ambientalmente sustentável.

E para facilitar, as dicas dos autores para aderir a esse padrão de dieta são:

  • Aumentar o consumo de frutas – 200 a 300 g (2-3 porções).
  • Sempre ter frutas lavadas e prontas à disposição.
  • Comer mais vegetais – 300 a 400 g, preparando-os de várias maneiras (assado, grelhado, salteado, etc).
  • Consumir grãos integrais e cereais – 100 a 150 g. Adicionar vegetais para melhorar o sabor, a cor e os nutrientes.
  • Os feijões e os legumes – podem ser consumidos como lanches, caldos ou pastas
  • As sementes e nozes (20 a 30 g) podem ser consumidas na forma de lanches, pastas, leites, com vegetais e saladas, iogurtes, etc.
  • Manter uma boa hidratação com água.

Vale lembrar que a adoção de um padrão de estilo de vida saudável inclui os demais pilares da medicina do estilo de vida, em virtude da suas conexões e sinergias.

 

Referências bibliográficas:

Smirmaul, B. P. C. et al. Lifestyle Medicine During (and After) the COVID-19 Pandemic. American Journal of Lifestyle Medicine; 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome