Chá: benefícios e compostos bioativos

O consumo regular de chá está inversamente associado ao risco de doenças cardiovasculares (DCV), ou seja, quanto maior o consumo de chá, menor o risco de doença cardiovascular.

0
73

O hábito de consumir chá já é amplamente relatado na literatura desde a antiguidade, quando as plantas eram utilizadas como medicamentos. E atualmente, o chá é a segunda bebida mais popular do mundo, depois da água.

Estudos epidemiológicos revelaram que o consumo regular de chá está inversamente associado ao risco de doenças cardiovasculares (DCV), ou seja, quanto maior o consumo de chá, menor o risco de doença cardiovascular.

Além disso, estudos experimentais in vitro e in vivo mostraram que o chá e seus compostos bioativos são eficazes na proteção contra DCVs. Os mecanismos relevantes responsáveis por esse benefício incluem a redução do lipídio sanguíneo, o alívio da lesão de isquemia, a inibição do stress oxidativo, o aumento da função endotelial, a atenuação da inflamação.

Falando especificamente do chá verde, que pode ser obtido a partir das folhas da planta Camellia sinensis, e é classificado em três tipos de acordo com o nível de fermentação: chá verde (não fermentado), oolong chá (parcialmente fermentado) e o chá preto (totalmente fermentado).

O chá verde é uma das bebidas mais populares do mundo. Acredita-se que tem efeitos benéficos na prevenção e no tratamento de muitas doenças, tendo muitos efeitos na saúde, como antioxidante, anticarcinogênico, hipocolesterolêmico e cardioprotetor.

Pesquisas conduzidas com populações asiáticas, especialmente a chinesa, demonstram que o consumo diário de chás preparados a partir da planta Camellia sinensis pode estar associado à diminuição do risco para doenças cardiovasculares (DCV), uma vez que o chá verde não passa pelo processo de fermentação sendo rico em catequinas, particularmente a epigalocatequina galato (EGCG), sendo que pesquisas já demonstraram que a substância possui efeitos anticarcinogênicos, agindo também na redução dos níveis de colesterol LDL, além de aumentar o gasto de energia, a oxidação lipídica, perda de peso e ajudar na manutenção do peso após perda de peso.

E quais são os principais compostos bioativos envolvidos nestes benefícios?

A maior parte dos efeitos benéficos do chá são atribuídos aos compostos fenólicos, em especial às catequinas, embora a cafeína e o aminoácido L‑teanina também possam estar relacionados a alguns destes efeitos.

Os mecanismos de ação propostos para as catequinas incluem atividade antioxidante, capacidade de ligação com ferro e modulação dos sinais relacionados ao crescimento de células neuronais

Mas, ainda permanecem algumas controvérsias em relação à temática, como a eficácia do consumo do chá verde e a suplementação com extrato de chá verde, devido a quantidade de polifenóis contidos em cada forma de apresentação, em especial, as catequinas. Outro ponto que ainda suscita discussão, é em relação ao efeito das catequinas isoladamente ao efeito da cafeína, presente em quantidades diferentes conforme a forma de ingestão, seja por meio de chá ou extrato do chá verde.

Por isso, a recomendação do velho e bom chá é sempre a melhor escolha. E se você quer saber mais, as autoras Cintia Pereira da Silva e Daniela Moura de Oliveira Beltrame discutem brilhantemente esse tema no nosso livro “Alimentos funcionais e compostos bioativos”. Não deixe de conferir.

 

 

Referências bibliográficas:

BATISTA, G. A. P.; CUNHA, C. L. P.; SCARTEZINI, M.; HEYDE, R. V. D.; BITENCOURT, M. G.; MELO, S. F. Estudo prospectivo, duplo cego e cruzado da Camellia Sinensis (Chá verde) nas dislipidemias. Arq Bras Cardiol. 93 (2): 128:134, 2009.

CHEN, Y-K.; CHEUNG, C.; R. REUHL, K. R.;, LIU, A. B.;, LEE, M-J.; LU, Y-P.;, YANG, C. S. Effects of Green Tea Polyphenol (-)-Epigallocatechin-3-gallate on a Newly Developed High-fat/Western-style Diet-induced Obesity and Metabolic Syndrome in Mice. J Agric Food Chem. November 9; 59(21): 11862–11871, 2011.

KIM, J. J. Y.; TAN, Y.; XIAO, L.; SUN, Y-L.; QU, X. Green Tea Polyphenol Epigallocatechin-3-Gallate Enhance Glycogen Synthesis and Inhibit Lipogenesis in Hepatocytes. BioMed Research International, 2013.

HSU, C-H.; LIAO, Y-L.; LIN, S-C.; TSAI, T-H.; HUANG, C-J.; CHOU, P. Does Supplementation with Green Tea Extract Improve Insulin Resistance in Obese Type 2 Diabetics? A Randomized, Doubleblind, and Placebo-controlled Clinical Trial. Altern Med Rev.Vol. 16 (2): 157-163, 2011.

HUANG, H.; GUO, Q.; QIU, C.; HUANG, B.; FU, X.; et al. Associations of Green Tea and Rock Tea Consumption with Risk of Impaired Fasting Glucose and Impaired Glucose Tolerance in Chinese Men and Women. PLoS ONE, 8 (11): 2013.

MIELGO-AYUSO, J.; BARRENECHEA, L.; ALCORTA, P.; LARRARTE, E.; MARGARETO, J.; LABAYEN, I. Effects of dietary supplementation with epigallocatechin-3-gallate on weight loss, energy homeostasis, cardiometabolic risk factors and liver function in obese women: randomised, double-blind, placebocontrolled clinical trial. British Journal of Nutrition. Vol. 111, 1263–1271, 2014.

SUDATHIP, S-T.; GROVE, K. A.; LAMBERT, J. D. Laboratory Studies on Weight Control and Prevention of Metabolic Syndrome by Green Tea. Pharmacol Res. August; 64 (2): 146–154, 2011.

SENGER, A. E. V. Eficácia do consumo de chá verde (Camellia sinensis) nos componentes da síndrome metabólica em idosos. 2011. 1 f. Dissertação (Mestrado em Gerontologia Biomédica) – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 2011.

Silva, C. P. da.; Beltrame, D. M. de O. Cafeína e compostos fenólicos. In: Pimentel, C. V. de M. B.; Elias, M. F.; Philippi, S. T. Alimentos funcionais e compostos bioativos.1ª. ed. Barueri (SP): Manole, 2019.

Cao, S-Y. et al. Effects and Mechanisms of Tea and Its Bioactive Compounds for the Prevention and Treatment of Cardiovascular Diseases: An Updated Review. Antioxidants (Basel). 2019 Jun; 8(6): 166.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome