Alimentos regionais: a diversidade e riqueza do nosso Brasil

Brasil, país de dimensão continental apresenta uma diversidade de alimentos que variam conforme as regiões.

0
305

“Moro… num país tropical… abençoado por Deus e bonito por natureza….” Jorge Ben foi muito feliz ao escrever essa canção, que retrata toda a tropicalidade do nosso país e a riqueza que temos.

E é exatamente por ser um país tropical, com uma posição geográfica privilegiada no globo terrestre e pela sua extensão territorial (país continental), que temos tamanha riqueza alimentar no país.

Mas o que isso quer dizer necessariamente?

Que a nossa diversidade de alimentos é resultado, em partes, dessas características citadas acima (clima, solo, vegetação), que são diferentes em cada região brasileira, mas também, resultado da diversidade cultural existente no país e da colonização brasileira.

Nesse sentido, a culinária no Brasil não apresenta uma característica única, variando conforme as regiões brasileiras, que por sua vez, apresentam alimentos específicos e uma cultura original também oriunda do tipo de colonização que receberam de populações: indígena, africana, portuguesa, espanhola, italiana, alemã, polonesa, francesa, holandesa, libanesa, japonesa, entre outras.

Com todo o processo de mudança ocorrido desde o final do século passado (urbanização, transição demográfica, epidemiológica e nutricional), o consumo de alimentos regionais passou a ocupar um lugar de destaque nas políticas públicas.

Em 2002, o Ministério da Saúde lançou um caderno especial sobre alimentos regionais, contendo tanto os alimentos típicos de cada região do país, quanto receitas. Em 2015, o caderno foi revisto e atualizado para a versão atual.

O incentivo ao consumo de alimentos regionais faz parte da promoção da alimentação adequada e saudável, por promover tanto a satisfação das necessidades biológicas dos indivíduos, quanto as características socioculturais e o uso sustentável do meio ambiente.

A exemplo do que já acontece no Brasil, o incentivo ao consumo de alimentos regionais por meio de políticas públicas (como o Programa Nacional de Alimentação Escolar, os materiais de apoio à alimentação regional desenvolvidos pelo Ministério da Saúde, entre outros), também ocorrem nos EUA, como o programa Farm to Institution, que incentiva a saúde e a sustentabilidade, por meio do fornecimento de alimento regionais para escolas, hospitais e organizações religiosas, beneficiando a economia da região, agricultores e comunidade local.

E para conhecermos um pouco mais sobre a diversidade alimentar brasileira, vamos discutir aqui no portal ao longo do tempo, os alimentos típicos de cada região! Vamos conhecer a riqueza que o Brasil apresenta, juntos! Vem com a gente!

 

 

Referências bibliográficas:

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Políticas de Saúde. Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. Alimentos regionais brasileiros/ Ministério da Saúde, Secretaria de Políticas de Saúde, Coordenação-Geral da Política de Alimentação e Nutrição. – 1. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2002.

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Alimentos regionais brasileiros / Ministério da Saúde, Secretaria de Atenção à Saúde, Departamento de Atenção Básica. – 2. ed. – Brasília: Ministério da Saúde, 2015.

Harris, D., Lott, M., Lakins, V., Bowden, B., & Kimmons, J. (2012). Farm to Institution: Creating Access to Healthy Local and Regional Foods. Advances in Nutrition, 3(3), 343–349.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome