Vitamina D, glicemia e níveis lipídicos em crianças: mais evidências?

Crianças com deficiência de vitamina D têm duas vezes mais chances de desenvolver pré-diabetes.

0
33

Já discutimos aqui, em outro momento, um artigo que demonstrou uma correlação inversa entre vitamina D e Índice de Massa Corporal (IMC) em indivíduos obesos.

O artigo de hoje, publicado na revista Nutrients no mês de setembro, traz uma discussão importante sobre parâmetros relacionados a dislipidemia e glicemia, em crianças, relacionados com o status de vitamina D.

O estudo com desenho do tipo transversal, avaliou a relação do nível de vitamina D e a prevalência de dislipidemia e glicemia de jejum alterados, em 284 crianças (150 meninos e 134 meninas), com idades entre 9 e 11 anos.

Os dados do estudo evidenciaram que a ocorrência de glicemia de jejum alterada entre crianças com deficiência de vitamina D foi quase duas vezes maior (OR = 1,966, IC 95%, 1,055 – 3,663) quando comparada a crianças com 25 (OH) D maior que 20 ng / mL (50 nmol / L).

Também foram observados uma associação significativa entre a concentração sérica de 25 (OH) D e Colesterol Total (CT). Os resultados indicaram que O soro 25 (OH) D com concentração menor em 1 ng/mL (2,5 nmol / L) foi associado a maior glicemia de jejum (0,25 mg/dL, 0,013 mmol/L; p = 0,017), maior colesterol total (CT) quase 1 mg/dL (0,96 mg/dL, 0,25 mmol/L; p = 0,006) e maior colesterol de lipoproteína de alta densidade (HDL-C) (0,57 mg/dL, 0,015 mmol/L; p <0,001). A ocorrência frequente de hipercolesterolemia no estudo (57,3%), sendo uma tendência notável particularmente em crianças com deficiência de vitamina D, também foi um achado importante.

Por fim, os autores concluem que a deficiência de 25 (OH) D pode afetar negativamente a glicemia de jejum e a concentração de colesterol total em crianças de 9 a 11 anos, uma vez que, crianças com deficiência de vitamina D têm duas vezes mais chances de desenvolver pré-diabetes, conforme refletido pela glicemia de jejum alterada, quando comparadas àquelas com nível de 25 (OH) D acima de 20 ng/mL (50 nmol / L).

Nesse sentido, apesar das limitações que um estudo do tipo transversal apresenta, sem relação de causa e efeito, os dados apontam resultados importantes ao papel da vitamina D em relação a parâmetros relacionados com a obesidade, como discutidos anteriormente.

 

 

Referências bibliográficas:

Szternel, L.;  Krintus, M.;  Bergmann, K.;  Derezinski, T.;  Sypniewska, G. Association between Fasting Glucose Concentration, Lipid Profile and 25(OH)D Status in Children Aged 9–11. Nutrients 2018, 10, 1359.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome