Resveratrol e desempenho cognitivo

A suplementação de resveratrol pode melhorar as variáveis associadas ao desempenho cognitivo; no entanto, a literatura atual ainda é inconsistente e limitada.

0
100

O resveratrol é um polifenol presente em alimentos como uvas e frutas vermelhas, que tem sido relacionado a benefícios a saúde, especialmente, no papel protetor contra doenças cardiovasculares, por meio da proteção contra o estresse oxidativo e ação na vasoconstrição e, mais recentemente, tem sido relacionado a propriedades neuroprotetoras.

Pesquisadores australianos publicaram recentemente na Nutrition Review uma revisão sistemática avaliando dados de ensaios clínicos relacionando o efeito da suplementação de resveratrol sobre o desempenho cognitivo e humor em populações saudáveis e no ambiente clínico.

No total, 10 estudos foram incluídos na análise, totalizando 372 indivíduos. Todos os estudos foram ensaios clínicos randomizados duplo-cegos; nove estudos utilizaram um placebo como controle, enquanto um estudo comparou um vinho tinto suplementado com resveratrol e um vinho tinto não suplementado com resveratrol. A dose de resveratrol utilizada nos estudos variou de 75 mg a 500 mg, e os participantes foram obrigados a consumir o resveratrol em forma de cápsula, com exceção dos participantes do estudo que usou vinho enriquecido com 200 mg de resveratrol. Quatro estudos utilizaram uma co-intervenção de piperina ou quercetina (também da classe dos polifenóis) com o objetivo de aumentar a biodisponibilidade da suplementação de resveratrol. Não foram relatados efeitos colaterais adversos a suplementação. Para avaliação do desempenho cognitivo, foram utilizados diferentes testes de medidas de cognição.

Os resultados dos estudos foram divergentes: três estudos descobriram que a suplementação de resveratrol melhorou significativamente algumas medidas de desempenho cognitivo, dois relataram resultados mistos e cinco não encontraram nenhum efeito. Quando os dados foram agrupados, a suplementação de resveratrol teve um efeito significativo no reconhecimento tardio nos testes de cognição, ou seja, na capacidade do cérebro para identificar estímulos.

Embora o mecanismo exato de ação seja desconhecido, o resveratrol pode atuar em várias vias sugeridas envolvidas na prevenção do declínio cognitivo relacionado à idade, incluindo aumento da produção endotelial de óxido nítrico, redução do estresse oxidativo, inibição da inflamação e modulação do gene da sirtuína

Os autores apontam algumas limitações dos estudos que podem ter influenciado no resultado, tais como: a duração do período de intervenção apresentou grande variação, com estudos com uma duração pequena, de 1 dia, a estudos com intervenção de seis meses. Sendo que, dos estudos que encontraram efeitos significativos da suplementação de resveratrol, 2 dos 3 testes mais longos encontraram melhorias significativas em algumas medidas de desempenho. Portanto, esses resultados sugerem que a suplementação de resveratrol a longo prazo pode ser necessária para alcançar melhorias nas medidas cognitivas.

Os autores concluem que os resultados indicam que a suplementação de resveratrol pode melhorar as variáveis associadas ao desempenho cognitivo; no entanto, a literatura atual é inconsistente e limitada.

Portanto, reconhece-se que o resveratrol é uma intervenção relativamente barata, amplamente disponível e bem tolerada, que pode ser eficaz para esses desfechos. No entanto, dado o pequeno tamanho do efeito e o tamanho das amostras limitadas dos estudos incluídos, os resultados da pesquisa devem ser interpretados com cautela, e o julgamento clínico deve ser usado ao usar a suplementação de resveratrol em um ambiente clínico.

 

 

Referências bibliográficas:

 

Marx, W., Kelly, J. T., Marshall, S., Cutajar, J., Annois, B., Pipingas, A., Tierney, A., Itsiopoulos, C. (2018). Effect of resveratrol supplementation on cognitive performance and mood in adults: a systematic literature review and meta-analysis of randomized controlled trials. Nutrition Reviews, 76(6), 432–443. doi:10.1093/nutrit/nuy010

Souto, A. A., Carneiro, M. C., Seferin, M., Senna, M. J. H., Conz, A., & Gobbi, K. (2001). Determination of trans -Resveratrol Concentrations in Brazilian Red Wines by HPLC. Journal of Food Composition and Analysis, 14(4), 441–445. doi:10.1006/jfca.2000.0970

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome