Resveratrol e curcumina: a suplementação altera a resposta inflamatória pós-prandial?

O consumo de resveratrol conjuntamente a curcumina não modifica a resposta inflamatória pós-prandial após uma refeição rica em gordura, podendo ter apenas, pequenos efeitos sobre a função endotelial.

0
319

Ultimamente tem se discutido muito sobre a indicação de alimentos funcionais, ricos em substâncias específicas, como resveratrol e curcumina, com um importante anti-inflamatório, sobretudo, para auxiliar no tratamento e prevenção de doenças que envolvem processos de inflamação.

Em recente estudo publicado pelo The Journal of Nutrition (Março, 2018), os pesquisadores investigaram a biodisponibilidade do resveratrol, encontrado em uvas e vinho tinho), consumido em combinação com a curcumina, presente em cúrcuma ou açafrão da terra. A mensuração desses compostos no plasma foi realizada após o consumo de uma refeição rica em gordura e, os efeitos agudos dessa combinação foram observados na resposta inflamatória.

O estudo foi realizado com indivíduos classificados com obesidade abdominal, totalizando 11 homens e 11 mulheres na pós-menopausa. Os voluntários foram submetidos a a um teste oral de tolerância à gordura de 6 horas em 2 ocasiões distintas, por 1 a 2 semanas: uma vez após o consumo do suplemento (200 mg de resveratrol e 100 mg de curcumina) e uma vez após o consumo de um placebo (celulose). Os principais parâmetros avaliados foram: as concentrações plasmáticas de resveratrol total e seus principais metabólitos, marcadores inflamatórios, moléculas de adesão e expressão do gene NFκB1 e PPARA durante ambos os testes de tolerância à gordura.

Os resultados indicaram que a suplementação de resveratrol e curcumina combinados não modificou as variações pós-prandiais em marcadores inflamatórios circulantes (proteína C-reativa, IL-6, IL-8, proteína quimiotática de monócitos-1) e moléculas de adesão [E-selectina molécula de adesão celular vascular 1 solúvel (sVCAM 1), molécula de adesão intercelular solúvel 1] em comparação com o placebo. Mas, a combinação de resveratrol e curcumina evidenciaram uma diminuição significativa na resposta cumulativa pós-prandial da sVCAM 1, em comparação com o placebo, sugerindo que o resveratrol e/ou a curcumina por si só ou seus metabólitos podem induzir alterações fisiológicas significativas nas variáveis relacionadas à funcionalidade vascular.

Já as variações da expressão do gene PPARA e NFKB1 não foram diferentes entre os tratamentos de resveratrol e curcumina associados e o placebo. Os pesquisadores concluíram que a combinação de resveratrol e curcumina não modifica a resposta inflamatória pós-prandial após uma refeição rica em gordura, podendo ter apenas, pequenos efeitos sobre a função endotelial, sugerindo uma nova agenda de pesquisa, para entender melhor como os polifenóis da dieta influenciam as respostas metabólicas agudas como parte do manejo nutricional na prevenção do risco cardiometabólico.

Apesar dos resultados deste estudo indicarem que a suplementação combinada e pontual não alterou a resposta inflamatória nos indivíduos pesquisados, existem muitos estudos já divulgados que a suplementação e/ou a ingestão de alimentos com estes compostos são eficientes para casos específicos. Aguardem os próximos posts!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome