Estudo PURE: Associação do consumo de leite e derivados, doenças cardiovasculares e mortalidade.

O consumo de leite e seus derivados foi associado ao menor risco de mortalidade e eventos cardiovasculares em uma coorte multinacional diversa.

0
177

Recentemente, foi publicado na revista The Lancet, mais um artigo resultante do estudo PURE (The Prospective Urban Rural Epidemiology), agora, sobre a associação do consumo de leite e derivados e sua relação com doença cardiovascular e mortalidade (no ano passado, a mesma revista já havia publicado resultados do mesmo estudo sobre o consumo de macronutrientes e doenças cardiovasculares e mortalidade).

O PURE trata-se de um grande estudo epidemiológico de coorte multinacional, que contou com a inclusão de 21 países, de cinco continentes, incluindo indivíduos com idade entre 35 e 70 anos, totalizando 136.384 pessoas no período de janeiro de 2003 e julho de 2018. As informações sobre ingestão dietética de produtos lácteos foram registadas utilizando questionários de frequência alimentar validados por país (para os países que não tinham um questionário de frequência alimentar validado, foi desenvolvido e validado um questionário utilizando um método padrão). A mediana de seguimento foi de 9,1 anos.

Os produtos lácteos compreendiam leite, iogurte e queijo. Além disso, os dados foram agrupados em laticínios integrais e com baixo teor de gordura. O desfecho primário foi composto de mortalidade ou eventos cardiovasculares (morte por causas cardiovasculares, infarto do miocárdio não fatal, acidente vascular cerebral ou insuficiência cardíaca).

Ao longo do período de estudo, foram registrados 10.567 eventos, sendo mortalidade (n = 6.796) e eventos cardiovasculares (n = 5.855).

Em relação aos objetivos do estudo, os resultados apontaram que uma maior ingestão de leite e derivados (> 2 porções por dia vs. nenhuma ingestão) foi associada com um menor risco de mortalidade total, mortalidade não-cardiovascular, mortalidade cardiovascular, doença cardiovascular e acidente vascular cerebral. Nenhuma associação significativa com infarto do miocárdio foi observada. A maior ingestão (> 1 porção vs. não ingerida) de leite e iogurte foi associada com menor risco, enquanto a ingestão de queijo não foi significativamente associada. A ingestão de manteiga foi baixa e não foi significativamente associada aos desfechos clínicos.

Em resumo, os resultados apontaram que o risco de acidente vascular cerebral foi marcadamente menor com maior consumo de produtos lácteos; nenhuma associação foi encontrada entre um maior consumo de leite e infarto do miocárdio. Portanto, os autores enfatizam que os resultados sustentam que o consumo de produtos lácteos pode ser benéfico para a reduzir a mortalidade e doenças cardiovasculares, sugerindo que o consumo de produtos lácteos não deve ser desencorajado e talvez deva ser incentivado até mesmo em países de baixa e média renda, onde o consumo de lácteos é baixo.

A partir desses resultados, a interpretação dos autores é de que o consumo de leite e derivados foi associado com menor risco de mortalidade e eventos cardiovasculares em uma coorte multinacional diversa.

O leite e seus derivados são fonte de diversas vitaminas e minerais, como: vitamina A, E, B1, B2, B3, B6, B8, cálcio, fósforo, magnésio, potássio, zinco e selênio. A recomendação desse grupo de alimentos, no Brasil, é de 2 a 3 porções por dia. Cada porção equivale a uma xícara (200ml) para leite e iogurte e duas fatias para queijos.

 

 

Referências bibliográficas:

Dehghan, M., Mente, A., Rangarajan, S., Sheridan, P., Mohan, V., Iqbal, R.; et al. Association of dairy intake with cardiovascular disease and mortality in 21 countries from five continents (PURE): a prospective cohort study. The Lancet, 2018.

Departamento de Nutrição da Faculdade de Ciências da Saúde da Universidade de Brasília (FS/ UnB) e a Área Técnica de Alimentação e Nutrição do Departamento de Atenção Básica da Secretaria de Política de Saúde do Ministério da Saúde (DAB/SPS/MS) – Alimentação Saudável. Disponível em: http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/alimentacao_saudavel.pdf

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome