Efeitos do consumo de café da manhã nos mecanismos de controle do apetite e saciedade

Café da manhã rico em proteína e energia aumentaram a magnitude da resposta ao apetite e saciedade comparadas aos estudos de indivíduos que não realizaram o café da manhã.

0
80

Dada a importância do café da manhã na rotina alimentar das pessoas, continuaremos a discussão sobre esta refeição, considerando que, à exceção dos consensos já muito bem estabelecidos (e ainda assim, não imutáveis), a ciência é feita disso: estudos, investigações e grandes discussões.

Uma revisão da literatura publicada na revista Advances in Nutrition avaliou ensaios clínicos baseados em intervenções que testaram se o consumo de café da manhã melhora o controle do apetite e a saciedade, bem como o gasto de energia, em comparação com o hábito de não consumir o café da manhã. Vários fatores foram considerados ao interpretar o corpo de evidências: incluindo: a composição do café da manhã, com foco específico na proteína da dieta (um café da manhã com alto teor proteico foi definido como aquele que incluía ≥30 g de proteína, porque essa era a quantidade mostrada para alcançar a saciedade elevada); tamanho e constituição da refeição; e comportamentos habituais de café da manhã.

Os dados do estudo evidenciaram um resultado positivo, embora modesto, na inclusão do café da manhã para melhorias no controle do apetite, saciedade e gasto energético pós-prandial. O teor de proteína, conteúdo de energia e a forma de apresentação da refeição, isto é, bebidas comparadas com alimentos sólidos, são fatores moduladores chave para o comportamento da ingestão alimentar e mecanismos de gasto de energia. Especificamente, as refeições do café da manhã contendo uma quantidade maior de proteína (≥30 g proteína/refeição) e energia (≥350 kcal/refeição) e fornecidas como alimentos sólidos aumentaram a magnitude da resposta ao apetite e saciedade comparados aos estudos de indivíduos que não realizaram o café da manhã.

Nesse sentido, os autores reforçam a importância de se conduzir ensaios clínicos randomizados de longo prazo, que incluam a avaliação do comportamento relacionado a ingestão alimentar e o controle do peso, para identificar o papel do café da manhã na promoção da saúde.

Comparativamente ao estudo já discutido aqui, também sobre café da manhã, parecem caminhar na mesma direção: evidências limitadas em relação ao consumo do café da manhã e sua relação com comportamentos de saciedade e metabólico. Em partes, pode ser decorrente das limitações dos estudos (um com uma amostra pequena de indivíduos analisados e este, uma revisão da literatura). Mas, de toda forma, devem ser sempre discutidos e interpretados à luz das evidências científicas atuais e, para a prática clínica, pensando no melhor para o paciente e sua rotina.

 

Referências bibliográficas:

Gwin, J. A.; Leidy, H. J. A Review of the Evidence Surrounding the Effects of Breakfast Consumption on Mechanisms of Weight Management. Adv Nutr 2018;9:1–9.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor, insira seu comentário!
Por favor, digite seu nome